Gente gira! 🙂

 

Todos nós passamos momentos em que sentimentos a criatividade a fugir-nos. Não há uma única ideia na nossa cabeça e precisamos desesperadamente de uma para o dia seguinte. O que é que podemos fazer para contrariar isto? Aqui seguem algumas ideias para vos ajudar em momentos menos criativos:

 

  1. Saiam de Casa!

Abandonem o computador e as redes sociais por uns momentos. Saiam da secretaria e preferencialmente saiam de casa. Se nao estao a conseguir ser criativos e ter boas ideias muitas vezes dar um passeio e espairecer e o suficiente para resolver este problema. Mudar de ambiente com frequencia e importante.

 

  1. Rodeiem-se de coisas inspiradoras!

Muitas vezes enquanto vemos coisas temos novas ideias e encontramos soluções em que ainda não tínhamos pensado. Desde as conversas até aos filmes, tudo vale! Quem nunca se sentiu inspirado a ler um bom livro a ver uma exposição, visitar uma galeria de arte, no meio de um concerto? Aproveitem as redes sociais e sigam pessoas com blogs, fotografias ou vídeos que vos inspirem e tragam boa disposição.

 

  1. Não desperdicem ideias!

Muitas vezes as melhores ideias surgem inesperadamente (principalmente se seguirem a dica número 1), agora é fácil termos onde as apontar nos nossos telemóveis. Eu confesso que ainda gosto de apontar as minhas ideias em cadernos, até porque posso aproveitá-los para começar a fazer rascunhos de desenhos ou outras coisas. Alem do mais, podemos rever as ideias que apontamos mais tarde e o distanciamento pode favorecer o julgamento.

 

  1. Trocar ideias!

Muitas vezes precisamos de discutir as nossas ideias com alguém, eu só de as dizer em voz alta por vezes já consigo encontrar soluções. No entanto, para outra situações é bom falar com alguém e trocar ideias. Quando estamos muito tempo a olhar para a mesma coisa deixamos de a ver! Nao se esqueçam e de seguir o ponto numero 3 e apontarem as ideias todas, principalmente se estiverem a fazer brainstorming!

 

  1. Experimentar uma coisa nova!

Vão viajar, conheçam pessoas novas, experimentem um prato novo, façam ski pela primeira vez ou surf! Vejam um concerto sozinhos, façam uma road trip com amigos, sejam impulsivos ou planeiem ao detalhe. Tentem fazer qualquer coisa diferente nem que não seja mudar o caminho que seguem para o trabalho.

 

Em resumo, sejam curiosos e procurem novas experiências e conhecer novas pessoas! Saiam da vossa zona de conforto e descubram algo sobre vocês mesmos. Isso vai reflectir-se na vossa criatividade.


1 beijinho e voltem sempre!

Gente gira!

Espero que gostem deste meu espacinho e das publicações que cá irei colocar! A primeira diz respeito a uma coisa que todos deviam criar, caso tenham algum negócio ou precisem de divulgar alguma empresa: cartões-de-visita! Sendo eu designer, já estou habituadíssima a fazer vários para os meus clientes, dos mais diversos estilos. Confesso que é algo que adoro fazer e tenho até bastante jeito! No entanto, tenho notado que os meus clientes pouco entendem deste assunto e chegam ao pé de mim sem saber o que me pedir em concreto. Se já vos aconteceu o mesmo, não se preocupem, pois é muito comum. Ao fim e ao cabo, os profissionais somos nós, por isso, caso contratem um designer que seja realmente competente, esperem dele estas 5 dicas:

 

O tamanho do cartão

O tamanho do cartão é a primeira coisa a decidir, pois vai influenciar o espaço para colocar as informações pessoais. No entanto, o designer costuma aconselhar sempre um tamanho pequeno, que caiba na carteira, de modo a ser mais fácil de transportar.

 

Informações certas

As informações que devem colocar são as seguintes: o vosso nome, o cargo que ocupam na empresa que querem publicitar, o vosso contacto (telemóvel e e-mail), assim como o nome, o logótipo, a morada e os contactos da empresa em questão.

 

Informação escrita no sítio certo

O local onde colocam as informações já vai depender da vossa preferência. No entanto, a ideia é que fique de forma coerente e que seja de leitura fácil e intuitiva.

 

Cores e padrões apelativos

As cores também são ao vosso gosto, no entanto, convém escolherem um padrão simples, com cores neutras, claras ou, se fizerem questão de ter um tom mais escuro no cartão, não escolham outras cores também carregadas. Relativamente ao número de cores, quanto menos existirem, melhor.  

 

Revisão da ortografia

Esta é uma dica fundamental. Depois do trabalho feito, o designer deve pedir-vos para reverem o cartão várias vezes, de modo a confirmarem se está tudo certo e se não existem nenhum erro ortográfico. Caso haja, e o trabalho avançar, vai ser dinheiro jogado ao lixo, pois terá que ser feito tudo de novo.

 

Estas são as dicas essenciais que eu e qualquer bom designer dá aos seus clientes. Já cheguei a estar 3h a discutir estes pormenores com uma rapariga, porque queria que ela tivesse a certeza daquilo que me estava a pedir. E é assim que deve ser. O profissional tem que ter paciência e saber ver se os clientes estão seguros das suas escolhas, pois, só assim, o trabalho corre bem para os dois lados.

 

Por hoje é tudo! Se tiverem alguma dúvida, disponham!

1 beijinho e voltem sempre!